Saúde

Projeto “Em um Piscar de Olhos” vai ofertar serviços oftalmológicos a mais de 10 mil alunos da rede estadual de ensino no Amapá

A iniciativa permitirá o tratamento precoce, evitando a evasão dos estudantes por dificuldades de aprendizado.

Mais de 10 mil alunos amapaenses terão acesso a serviços de prevenção e tratamento oftalmológico a partir do projeto ‘Em um piscar de olhos’, lançado na segunda-feira, 11, pelo Governo do Amapá e Instituto Desponta Brasil. O senador Lucas Barreto  destinou R$ 2,7 milhões em emenda parlamentar para a iniciativa.

Neste primeiro momento, a ação vai atender estudantes de sete escolas estaduais, garantindo mais qualidade de vida a crianças e adolescentes com problemas de visão.

O projeto permitirá o tratamento precoce, evitando a evasão escolar de alunos por dificuldades de aprendizado. A iniciativa funciona em três etapas. Primeiro, será feita a triagem de todos os estudantes das escolas atendidas, sem qualquer distinção de idade ou série.

As crianças e adolescentes identificadas com condições como miopia, astigmatismo e hipermetropia serão encaminhadas para consultas mais aprofundadas. Na última etapa, o Governo do Amapá entregará, de forma gratuita, óculos de grau para os estudantes diagnosticados com alguma dificuldade de vista. O vice-governador do Amapá, Antônio Teles Júnior, reforçou a importância do tratamento precoce.

Foto: Lidiane Lima/Seed

“Em tese, todos nós deveríamos ir ao oftalmologista regularmente, mas esse acesso ainda não é universal. Então, esse projeto é uma oportunidade para os alunos acessarem o serviço. Quanto mais jovem começar o tratamento, maiores serão as chances de evitar outros possíveis problemas”, explicou Teles Júnior.

O senador Lucas Barreto, que destinou R$ 2,7 milhões em emenda parlamentar para a iniciativa, explicou que o número elevado na quantidade de atendimentos será possível através de um equipamento tecnológico de ponta, que não utiliza toques físicos e entrega o resultado do exame em segundos.

“Nesta primeira fase, o programa vai abranger sete escolas estaduais de Macapá. No segundo semestre, será expandido para o município de Santana. O objetivo é conseguir mais recursos para aumentar esse projeto, com o Governo do Estado, para todos os 16 municípios do Amapá”, afirmou Barreto.

Foto: Lidiane Lima/Seed

Como vai funcionar o projeto?

As consultas para avaliar a visão dos estudantes iniciam ainda nesta semana. A primeira fase do projeto atende as Escolas Estaduais Barão do Rio Branco; Antônio Munhoz; Marly Maria; Dom José Maritano; Nilton Balieiro; José de Alencar e Antônio Cordeiro Pontes, todas em Macapá. No segundo semestre, a iniciativa vai alcançar o município de Santana.

No estado, o projeto será desenvolvido pelas Secretarias de Estado de Saúde (Sesa) e Educação (Seed), em parceria com o Instituto Desponta Brasil. A secretária da Sesa, Silvana Vedovelli, reforçou a importância de parcerias como essa para o benefício da saúde de crianças e adolescentes.

Foto: Lidiane Lima/Seed

“A saúde e a educação são prioridades para o Governo do Amapá. Sozinhos, nós não conseguiremos fazer nada, mas juntos podemos potencializar os serviços. Um maior acesso à saúde é sempre uma grande conquista”, reforçou Silvana.