Política

Governo inicia tratativas para interligar o Amapá ao cabo submarino intercontinental de fibra óptica

Objetivo é garantir conexão de internet direta e de alta capacidade para os amapaenses.

O Governo do Amapá iniciou as tratativas com a empresa EllaLink, dona do único cabo submarino de fibra óptica intercontinental, que liga a América Latina à Europa, com internet de ultra velocidade.

Na reunião virtual, com representantes da empresa, o governador Clécio Luís falou sobre a possibilidade de conectar o Amapá ao sistema para garantir o desenvolvimento tecnológico, ampliando a qualidade e potencialidade do fornecimento de dados virtuais no estado.

“É o único cabo que liga diretamente a Europa ao Brasil, através de Fortaleza e o Rio de Janeiro, que agora vai ligar com Salinas (Pará). E nós queremos aproveitar essa ligação, que vai chegar até Belém, para trazer o cabo até Macapá, Oiapoque e também a Guiana Francesa. Com isso, vamos conseguir um anel tecnológico perfeito na região, o que dará segurança nas nossas comunicações. Foi a primeira reunião, estamos começando as tratativas e espero logo, logo ter novidades”, pontuou o governador. O cabo da EllaLink possui 6 quilômetros de extensão e está ancorado na cidade de Sines, em Portugal, e Fortaleza, no Brasil. Em operação desde junho de 2021, tem capacidade de transmitir 100 terabits por segundo, além de ser a primeira rota de conexão direta de alta capacidade ligando o país ao velho continente, sem passagem pelos Estados Unidos.

O cabo submarino conecta a América Latina à Europa, com internet de ultra velocidade. Foto: Divulgação/EllaLink

O Secretário de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec), Edvan Barros, que também participou da reunião pela internet, ressaltou a importância do Amapá avançar na área tecnológica de dados virtuais.

“Se o projeto for concretizado, será um passo muito importante para o Amapá e para o Brasil. A empresa nos informou que já tem o projeto todo desenhado e pronto para expandir os serviços até a Guiana Francesa, e ampliar a conectividade até o Norte e Nordeste do país. Estamos muito otimistas, pois o estado precisa e muito desse avanço”, afirmou Edivan Barros.

 

Com informações de Worchiely Costa