Segurança

Black Friday: Policia Civil dá dicas para evitar golpes na hora das compras

Pensando na segurança de consumidores para que não caiam em golpes durante as promoções da “Black Friday”, a Polícia Civil do Amapá tem orientado a população com dicas importantes que podem garantir uma compra segura, já que as promoções que chamam atenção, não acontecem somente em lojas físicas, mas também em sites de compras pela internet.

Foto: Ascom PC/AP

Para não cair em golpes, a Polícia destaca cautela e desconfiança, de valores muito abaixo do mercado, para evitar prejuízos.

Segundo a delegada Áurea Uchôa, titular da Delegacia de Repressão de Crimes Cibernéticos (DR-Cciber), o ambiente virtual pode trazer surpresas até para os usuários mais experientes. Uma simples letra no endereço eletrônico de um portal na internet pode indicar que o site é fraudulento e todo cuidado é necessário.

Foto: Ascom PC/AP

“Analise o endereço que fica na parte superior da página. Se aquele endereço é HTTP ou HTTPS, pois geralmente endereços que possuem HTTPS tendem a ser mais seguros do que o HTTP. Outra forma de visualizar se aquele site é seguro ou não, é se possui o cadeado também na parte superior do portal. Se o cadeado está fechado, é um indicativo que o site é seguro”, esclareceu a delegada.

Áurea Uchôa salienta que, por esse motivo, o ideal é optar por sites conhecidos e, mesmo que a dúvida persista, o consumidor pode acessar e pesquisar a índole da empresa pelos sites: consumidor.gov.br ou pelo Reclame Aqui. Outra dica da Polícia Civil é evitar fazer compras pela internet utilizando redes públicas de acesso.

“Quando o consumidor conecta em Wi-Fi público, ele está disponibilizando os dados pessoais e isso pode, consequentemente, dar acesso ao uso indevido dessas informações. O melhor é optar por conexões seguras, por exemplo, o Wi-Fi de casa ou os dados do próprio aparelho telefônico”, informou Áurea Uchôa.

Nessa época do ano, de acordo com a Polícia Civil, é muito comum que as pessoas recebam, com mais frequência, ofertas através de SMS (mensagem de texto via celular), que mostram ofertas extremamente facilitadas para o cidadão. A delegada alerta que, geralmente, as mensagens telefônicas trazem links maliciosos.

“Esses links podem fazer com que a pessoa instale algum aplicativo no celular sem que saiba, ou então ao clicar ser direcionado para alguma página falsa”, frisou.

Gostou do produto, conversou com o vendedor virtualmente, mas ainda está com dúvidas sobre a procedência do site. Uma dica é: “Evite pagamento via Pix, caso haja desconfiança da origem da loja. É muito mais fácil a pessoa tentar recuperar o valor através de uma compra pelo cartão de crédito do que uma realizada através de Pix”, argumentou a delegada.

Já as compras pelo cartão de crédito, muito cuidado com os dados disponibilizados no cadastro do site, especialmente os dados financeiros, como lembra Áurea Uchôa, não muito raro a disponibilização do número do cartão de crédito pode vazar e, consequentemente, de forma criminosa, ocorrer outras compras no dispositivo sem a autorização do portador.

Caso o consumidor se sinta prejudicado com alguma transação de compra fraudulenta pela internet é importante que procure a delegacia mais próxima para registrar um Boletim de Ocorrência. O procedimento pode ser feito também pelo site da Polícia Civil do Amapá, clicando no banner Delegacia Virtual.

“É extremamente importante que o consumidor, se sentindo prejudicado, procure os meios legais de tentar reaver o dinheiro investido e fazer a denúncia, reunindo todos os registros possíveis em que houve a negociação com o criminoso para dar subsídios às investigações”, orientou a delegada.