Saúde

Unidade Móvel OdontoSesc passa a oferecer atendimento odontológico no Iapen

Serão realizadas consultas e procedimentos como cirurgia oral menor, profilaxia, aplicação de flúor e raspagem de tártaro

Na sexta-feira (15) o Sesc Amapá, em parceria com Governo do Estado do Amapá e a Prefeitura de Macapá, inaugura o Projeto OdontoSesc no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen). A unidade móvel vai oferecer de forma gratuita consultas e tratamentos odontológicos para os apenados.

Participam da assinatura do Termo de Cooperação Técnica junto ao presidente do Conselho Regional do Sesc Amapá, Ladislao Monte, o diretor geral do Iapen, Luiz Carlos Gomes Junior, a secretária estadual de saúde, Silvana Vedovelli e representando a Secretaria Municipal de Saúde o coordenador de saúde bucal, Patrick Alfaia.

Objetivo da parceria é facilitar o acesso aos serviços odontológicos através do diagnóstico precoce e tratamento das doenças bucais, contribuindo para a promoção integral, proteção e recuperação da saúde.

A Unidade Móvel é estruturada com quatro cadeiras odontológicas, central de esterilização, cabine para a realização de raios X, escovódromo e profissionais altamente capacitados.

Foto: Ascom SESC

Além do atendimento na clínica odontológica, o OdontoSesc realiza atividades de educação em saúde bucal e geral, onde são realizadas atividades educacionais como rodas de conversa, vivências, orientações, além da escovação supervisionada e fluorterapia.

Entre os procedimentos ofertados estão a clínica básica, com restauração, cirurgia oral menor, profilaxia, aplicação de flúor e raspagem de tártaro. Além disso, a equipe realiza palestras e atividades educativas preventivas.

Projeto OdontoSesc – Criado pelo Departamento Nacional do Sesc em 1999, o Projeto de Unidades Móveis OdontoSesc, em linhas gerais, tem como objetivos norteadores tornar a saúde bucal acessível  às comunidades sócio economicamente mais vulneráveis do país, através do atendimento clínico ambulatorial em atenção básica, além de facilitar o processo de autonomia dessas populações em relação à sua própria saúde, por meio de atividades educativas e capacitação das pessoas em hábitos mais saudáveis de vida.

São 59 unidades móveis espalhadas pelo país, as equipes realizam atendimento gratuito à população em locais com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) ou baixa cobertura, como municípios do interior do país e periferias de grandes cidades, ampliando o alcance das clínicas fixas. As unidades permanecem por 90 dias úteis em cada local.

Desenvolvido há mais de 10 anos no estado do Amapá, o projeto já percorreu diversos municípios do Estado e dentre eles estão Macapá, Mazagão, Laranjal do Jari, , Tartarugalzinho, Ferreira Gomes, Amapá e Santana.