Cidades

Tarifa Social: busca ativa por clientes aptos ao recebimento do benefício é reforçado nos 16 municípios do estado

Com descontos que variam de 10 a 100%, cerca de 80 mil clientes no Amapá possuem potencial para fazer parte do programa mas ainda não recebem os descontos.

A Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) segue beneficiando cada vez mais amapaenses com descontos de até 100% na fatura de energia elétrica. Atualmente, 106 mil famílias no estado recebem os descontos que variam de acordo com o consumo mensal, mas no Amapá, outras 80.332 mil famílias possuem o perfil para fazer parte o programa, mas ainda não estão cadastradas.

Para isso, a CEA Equatorial não tem medido esforços para alcançar as famílias com potencial para estarem inclusas no programa, com a realização de mutirões que ofertam o cadastro da TSEE, além de oferecer outros serviços que buscam a economia de energia como a troca de lâmpadas incandescentes por lâmpadas de LED, a troca de geladeiras antigas por novas e a orientação do consumo consciente.

Para que estas pessoas sejam cadastradas, elas devem estar com o número de Inscrição Social (NIS) ativo e atualizado, para isso, podem ir até o Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) de qualquer município ou na Casa do Bolsa ou se cadastrar através do site, da Clara, a assistente virtual que atende através do número (96) 3082-2949 ou em uma das agências de atendimento de forma presencial.

Todos os dados devem ser atualizados a cada dois anos, correndo o risco, se não atualizado, desse usuário perder o benefício. O Benefício de Prestação Continuada de Assistência Social (BPC) também deve ser atualizado a cada dois anos.

A executiva de comunidade da CEA Equatorial, Geaneide Vilhena, enfatiza a necessidade da busca ativa por pessoas aptas ao benefício, com as ações porta a porta e a ampla divulgação das vantagens oferecidas pela Tarifa Social.

“Somente nos últimos três meses, nós realizados mutirões de atendimento em seis municípios do estado, como Vitória do Jari, Laranjal do Jari, Serra do Navio, Itaubal, Pracuúba e Macapá. Em muitos destes locais nossas equipes vão também até a casa dos moradores procurando por pessoas que tenham o perfil para fazer parte do programa. Nossa intenção é alcançar todas as cidades com essa procura”, disse.

O Programa Tarifa Social de Energia Elétrica foi criado para beneficiar famílias de baixa renda e quanto essa família consumir, maior será o desconto na conta de luz. Para famílias indígenas e quilombolas que consomem até 50kWh/mês, a redução é de 100%. Após 220kWh, os clientes pagam o valor normal da tarifa, referente ao que ultrapassar.

Os clientes que consomem até 150 quilowatts, tem a conta totalmente paga através de uma cooperação técnica entre a CEA Equatorial e o Governo do Estado, no programa Luz Paga.

Quem tem direito à Tarifa Social

– Inscritos no CadÚnico, com renda familiar de até meio salário mínimo, por pessoa Idosos ou deficientes que recebem o Benefício da Prestação Continuada (BPC), com renda mensal por pessoa, inferior a um quarto do salário mínimo;

– Famílias que possuem membros com qualquer tipo de deficiência, desde que necessite usar aparelhos para tratamentos terapêuticos domiciliares. As Famílias precisam estar inscritas no CadÚnico tendo Número de Identificação Social (NIS) e com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos;

– Famílias indígenas e quilombolas inscritas no Cadastro Único com renda menor ou igual a meio salário mínimo, por pessoa da família.