Saúde

‘Sem metas exageradas’, recomenda nutricionista sobre dietas para 2023

Com a chegada de um novo ano, muitas pessoas projetam estilo de vida mais saudável, o qual inclui exercícios físicos e alimentação balanceada, por exemplo. No entanto, é preciso ter cuidado para não exagerar nas dietas e acabar adquirindo doenças como anemia, anorexia, bulimia, entre outras. Na busca pela qualidade de vida, é importante procurar ajuda de um profissional para acompanhar essa mudança de hábitos, sobretudo alimentares.

“Fazer dieta sem um acompanhamento nutricional, mesmo em curtos períodos, pode causar deficiência de vitaminas e minerais, levando a doenças como anemia. Além disso, o sistema imunológico também pode ser prejudicado, deixando o organismo mais propício a infecções por vírus e bactérias”, explica a professora do curso de Nutrição da Estácio, Mahyá Martins, que também chama atenção para os cuidados necessários com as dietas restritivas.

“Nosso corpo necessita dos macros e micronutrientes para o funcionamento adequado de todos os órgãos, quando se faz uma dieta restritiva, esse organismo acaba ficando sem alguns nutrientes e isso pode afetar como o corpo trabalha”, alerta.

Mahyá afirma ainda que muitas dietas se baseiam no corte de carboidratos. Segundo ela, essa medida até ajuda no emagrecimento, mas pode acarretar problemas. “A maioria dos indivíduos que as adotam retornam ao peso anterior. Muitas vezes, essa perda de peso não está associada à reeducação alimentar e a adoção de outros hábitos saudáveis, fatores essenciais para a manutenção de um peso adequado, podendo ter consequências no corpo como fraqueza pela falta de energia fornecida na alimentação”, exemplifica.

“As dietas restritivas, além de não serem eficazes, podem favorecer o surgimento de transtornos alimentares como anorexia, bulimia e compulsão alimentar. A restrição alimentar pode causar privação física e emocional, desencadeando frustração, raiva, por não poder comer certos tipos de alimentos, gerando um sentimento de culpa e medo de engordar”, reflete a professora.

Após as festas de final de ano, Mahyá defende que “é preciso voltar à rotina aos poucos, sem metas exageradas”. Para isso, “é preciso incluir como compromisso do dia a dia hábitos alimentares mais saudáveis, além da prática de atividade física, procurando um profissional da área para auxiliar nesse momento”, indica a nutricionista.

“Pode ir adicionando à rotina mais frutas, verduras, legumes e água para o organismo ir desintoxicando das ‘comilanças’ das festas. É importante ressaltar que essa mudança para hábitos mais saudáveis deve ser praticada durante todo o ano e não somente no começo do semestre, para que, assim, o organismo esteja em equilíbrio e preparado para as próximas festas”, recomenda Mahyá.

Por Ana Laura Carvalho