Segurança

Segurança Pública: Mais de 240 detentos são transferidos para novo pavilhão do Iapen no Amapá

Nesta segunda-feira, 10, o Governo do Amapá ativou o novo pavilhão do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) com a transferência de mais de 240 detentos para a estrutura. A iniciativa faz parte das estratégias de investimentos na Segurança Pública.  O espaço segue as novas diretrizes de segurança do sistema prisional, garantindo maior isolamento para evitar a prática de crimes dentro e fora do presídio.

“Além da abertura de novas vagas, o Governo do Estado vai investir na construção de oficinas de trabalho e na fábrica de blocos de concreto. O objetivo é capacitar e qualificar a mão de obra carcerária para usá-la em benefício da coletividade, criando alternativas para política de encarceramento”, disse o diretor do Iapen, Luiz Carlos.

Foto: Divulgação/Sejusp

O pavilhão possui duas alas com 32 alojamentos, que receberam pintura, troca de grades, troca de vasos e pias para modelos mais seguros, além da instalação de novas redes elétrica, de esgoto e água.  Do total de alojamentos coletivos, quatro celas possuem rampas de acessibilidade para cadeirantes.

“Essa foi uma preocupação da gestão, pois dos quatro pavilhões em reforma, dois estavam com as obras paradas há mais de quinze anos e nunca foram usados. Os outros dois pavilhões foram entregues em 2015, mas estavam interditados há um ano pela Justiça, por problemas de segurança. Hoje foi entregue um desses pavilhões com alas adequadas e em plenas condições de uso”, garantiu José Neto, secretário de Segurança.

Foto: Divulgação/Sejusp

Novas obras
Em junho de 2023, o governador, Clécio Luís, esteve em algumas dependências do Iapen e autorizou junto à Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinf), as reformas das guaritas, banheiros e alojamento dos servidores.

Operação de transferência
Participaram da operação integrada de transferência de presos, o Grupo Tático Prisional (GTP), com aopio do policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do GrupoTático Aéreo (GTA).

 

Com informações de Marcelle Corrêa