Municípios

Programa Luz Para Todos avança em comunidades ribeirinhas do Arquipélago do Bailique

CEA Equatorial realizou a implantação de 213 kits solares na comunidade do Limão do Curuá. Famílias do Igarapé Grande do Curuá serão as próximas contempladas.

 As ações do Programa Luz Para todos nas regiões remotas do Amapá, que são executadas pela CEA Equatorial, seguem avançando no Arquipélago do Bailique. Foram concluídas a implantação de 213 kits solares na comunidade do Limão do Curuá. Agora, as frentes de trabalho seguem para a comunidade Igarapé Grande do Curuá, onde serão implantados outros 223 kits.


Ao todo serão implantados 884 kits solares na região do arquipélago. A dona de casa, Raimunda Maciel, moradora da comunidade do Limão do Curuá, contou da alegria de receber energia de forma segura pela primeira vez.

“Quando chegou a energia tudo mudou. Vou poder ligar meu freezer, minha televisão e a bomba de puxar água”, declarou.

O presidente da CEA Equatorial, Augusto Dantas, explicou que serão 21 comunidades atendidas ao todo na região.

“Estamos trabalhando de forma intensificada para implantar todos os mais de 800 kits nas áreas que serão atendidas ainda em 2023, para que no próximo ano, a gente consiga chegar nas comunidades da região do Sucuriju”, complementou.

Luz Para Todos – Regiões remotas

Ao todo, serão 2.500 famílias de regiões ribeirinhas que serão contempladas pelo programa no estado até o início de 2024. O trabalho começou na região do Vale do Jari, onde foram implantados mais de 700 kits solares.

O kit solar chega para proporcionar um fornecimento de energia sustentável e seguro para pessoas que nunca tiveram o serviço de forma regular. Além da implantação do kit, os ribeirinhos são orientados acerca da utilização do equipamento. Cada kit tem autonomia de bateria de 48 horas e dispõe energia para uma casa composta por refrigerador, ventilador, televisão e lâmpadas de led.

A CEA Equatorial ficará responsável pela manutenção preventiva dos kits, que será de três em três meses, sem custos. As famílias que possuem o número de inscrição social entrarão no Programa Luz Paga, ação em parceria com o Governo do Estado. As que ainda não possuem, pagarão uma taxa mínima.

 

Com informações da Assessoria de Imprensa da CEA Grupo Equatorial Energia