Cidades

Procon Amapá adere à pesquisa nacional que avalia serviços das companhias aéreas

A ação iniciou na quarta-feira, 17, no Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre, em Macapá.

O Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá (Procon-AP) aderiu à pesquisa nacional iniciada na quarta-feira, 17, com usuários de transportes aéreos no Brasil para conhecer o perfil de quem viaja de avião e suas experiências com esse tipo de serviço.

A pesquisa é realizada pela Associação Brasileira de Procons (Proconsbrasil), em parceria com os órgãos que integram o Sistema de Defesa do Consumidor em todo o país. No Amapá, a ação ocorreu do Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre, com abordagens de usuários de serviços ofertados pelas companhias aéreas que atendem o estado. A avaliação também está disponível on-line para quem tiver interesse em opinar, até o dia 25 de janeiro.

A ação avalia a satisfação dos consumidores com as companhias aéreas. Foto: Israel Cardoso Jr/GEA

PARTICIPE AQUI

“As informações vão subsidiar a elaboração de políticas públicas de defesa do consumidor para garantir mais qualidade e segurança aos passageiros. Esse levantamento, que é nacional, nos permite ter um instrumento para nos guiar na tomada de decisões mais efetivas”, detalhou o diretor-presidente do Procon-AP, Matheus Pinto.

A presidente da Proconsbrasil, Márcia Moro, ressaltou que a participação dos consumidores na pesquisa é fundamental para a elaboração de medidas que garantam o cumprimento da lei.

“É indispensável que o brasileiro participe, pois, assim, poderemos avançar exigindo o cumprimento do Código de Defesa do Consumidor e demais legislação sobre o tema”, afirma Márcia.

Fiscalização

Além da pesquisa voltada aos consumidores, o Procon-AP realizou fiscalização no aeroporto, em parceria com a  Ordem dos Advogados Brasileiros (OAB), para constatar a adequação das empresas às normas vigentes. A equipe do órgão verificou se há a oferta de serviços obrigatórios, como fila preferencial, orientações para despacho de bagagem, atendimento físico nas empresas, e informações sobre atrasos e cancelamentos de voos.

Em uma das empresas aéreas, a equipe encontrou irregularidades referentes à ausência de informação sobre formas de pagamento e precificação dos serviços ofertados. O Procon autuou o empreendimento, que terá o prazo de 20 dias para apresentar defesa.

No momento da fiscalização, a equipe do Procon também foi abordada por uma consumidora que informou ter sido impedida de embarcar por não ter toda a documentação necessária para o procedimento. Os fiscais realizaram uma intervenção junto à empresa que resultou na remarcação de embarque.

Na parte estrutural do aeroporto, foi identificado que a escada rolante de acesso à sala de embarque não está funcionando e a climatização é insuficiente para atender toda a área, o que tem ocasionado muitas reclamações. A empresa responsável foi notificada e deve prestar esclarecimentos e as medidas adotadas para a resolução dos problemas.

Denúncias

O consumidor que se sentir prejudicado pode procurar o Procon para registrar denúncias através dos números 151 e 3312-1004 ou presencialmente, de segunda a sexta, de 8h às 13h, na sede do órgão, que fica na Avenida Henrique Galúcio com Jovino Dinoá, no Centro de Macapá.

 

Com informações de Cristiane Nascimento