Segurança

Polícia Federal cumpre mandados para apurar desvio de medicamentos da rede pública para clínicas e farmácias particulares em Macapá

Medicamentos que deveriam ir para as UBS e UPAS, eram desviados para clínicas e farmácias particulares

A Polícia Federal no Amapá, deflagrou na manhã desta quarta-feira (05/07) a Operação Hipertrofia, com o cumprimento de 3 mandados de busca e apreensão nos bairros Jardim Felicidade, Renascer e Zerão, em Macapá.

A ação identificou três indivíduos, sendo prestadores de serviços e funcionários contratados, que estariam subtraindo medicamentos do Departamento de Assistência Farmacêutica de Macapá (DAFA). Os homens eram contratados de uma empresa terceirizada que ficava responsável por separar e distribuir os medicamentos no Estado.

A investigação teve início após denúncia recebida pela PF relatando que com a entrada de um funcionário (motorista), começou a desviar os medicamentos, possivelmente, quando ocorria a separação dos materiais destinados às UPA’s e UBS’s. Há indícios que o armazenamento era feito no seu carro particular e em uma casa alugada, com finalidade de armazenar o material subtraído.

Os materiais desviados consistiam em medicamentos, máscaras, luvas e até teste rápido de COVID19 e eram repassados para terceiros compradores que revendiam para farmácias e clínicas particulares. Tudo indica que a prática ocorreu entre os anos de 2020 à 2021, no auge da pandemia.

Um dos investigados possui ligação com uma mulher que já foi alvo da Operação Anestesia, que também investigou a prática ilícita de desvio de medicamentos. O esquema ainda contava com a ajuda de dois funcionários que trabalhavam dentro do depósito.

Caso se comprove os desvios, os investigados poderão responder pelos crimes de Peculato e Associação Criminosa. Em caso de condenação, a soma das penas pode chegar até 15 anos de reclusão, além do pagamento de multa.

Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá