Segurança

PF e ICMBio investigam incêndio criminoso em Reserva Biológica do Amapá

A ação se deu na Reserva biológica do Lago Piratuba, na região próxima a Cutias – AP.

Na última quinta-feira (28/11), a Polícia Federal e o ICMBio promoveram uma ação de repressão a diversos focos de incêndio em região de reserva federal no Amapá. Segundo informações, o incêndio teria começado no dia 14 de novembro e se alastrou por uma região de aproximadamente 6 mil hectares, dos quais 5 mil hectares pertencem à Reserva Biológica do Lago Piratuba, na região de Cutias, interior do Amapá.

A PF e o ICMBio contaram com o apoio de um helicóptero Blackhawk, tripulado por militares da aeronáutica. Os servidores sobrevoaram a região da reserva por cerca de três dias, investigando as possíveis causas dos incêndios, bem como os seus eventuais responsáveis.

Após investigações, um homem e dois adolescentes foram identificados como autores do incêndio. Eles informaram que haviam saído para caçar e pescar na reserva, quando pararam em um determinado ponto para se alimentar e utilizaram fogo para cozinhar o alimento.

Os indivíduos não se preocuparam em apagar a fogueira, o que provocou com que o fogo pegasse na vegetação ao redor da área, que estava muito seca, e se alastrasse com muita velocidade, causando um enorme impacto na fauna e na flora local com a morte de diversos animais e a destruição da vegetação local.

Calcula-se um prejuízo de aproximadamente 54 milhões de reais em multa para autores de crimes dessa magnitude.

As três pessoas identificadas poderão responder pelos crimes de incêndio culposo e o homem maior de idade também irá responder por corrupção de menores. Em caso de condenação, as penas podem chegar a 6 anos de reclusão.

 

Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá