Segurança

Operação Ricochete: Esquema de venda ilegal de arma de fogo e agiotagem é investigado pela PF no Amapá

Seis Mandados de Busca e Apreensão foram cumpridos em Macapá e Ferreira Gomes/AP.

 Na manhã desta quarta-feira (20/12), em Macapá, a Polícia Federal cumpriu seis mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Ricochete. As buscas visam esclarecer sobre a atuação de indivíduos suspeitos de comercializar, de forma ilegal, armas de fogo no estado. Um dos indivíduos também é suspeito de praticar o crime de usura, que é quando uma pessoa empresta dinheiro cobrando juros muito acima do permitido pela lei.

A ação é consequência da Operação Petrov, quando os policiais, ao realizarem buscas na casa de um dos investigados naquela ação, se depararam com conversas em aparelho celular deste investigado com uma terceira pessoa, com o objetivo de comercializar arma de fogo de forma irregular.

De posse desta informação, a PF iniciou esta nova investigação para apurar estes fatos encontrados e descobrir quem era este homem que estaria comercializando as armas. Foi então que os policiais identificaram que dois homens poderiam estar associados para praticar essa venda irregular no estado.

É importante frisar que esses indivíduos não possuem qualquer autorização para vender, portar ou armazenar armas de fogo e que, entre as armas que supostamente eles comercializaram, muitas não possuíam registro ou estariam com a numeração raspada.

Além do comércio ilegal das armas de fogo, um dos investigados estaria em um outro esquema de agiotagem, sendo responsável pelas cobranças dos empréstimos a juros abusivos, enquanto um outro homem era responsável por emprestar o dinheiro e fazer o controle das finanças.

Os investigados poderão responder pelos crimes de comércio ilegal de arma de fogo e usura. Em caso de condenação, poderão pegar pena de mais de 14 anos de reclusão, mais pagamento de multa.

 

Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá