Segurança

Operação Rebeldia: Força Tarefa cumpre mandados para investigar membros de uma organização criminosa no Amapá

Os investigados utilizam um formulário com cláusula de pena de morte

A Força Tarefa de Segurança Pública do Amapá deflagrou na manhã desta terça-feira (04/07), a Operação Rebeldia, com o cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão e três de prisão preventiva no IAPEN, nos bairros Congós e Provedor ll, nos municípios de Macapá e Santana, respectivamente.

A investigação identificou um grupo virtual em aplicativo de mensagens, sendo uma célula dentro da organização criminosa, com o intuito de auxiliar a tomada de decisões, colaborando para a manutenção de um estado paralelo nas áreas de domínio da facção.

Dentre os investigados, há um homem que cumpre pena em regime domiciliar pelo crime de roubo qualificado, responsável pelo cadastro de novos membros junto à organização criminosa, em uma espécie de chefe de “recursos humanos” do crime.

O indivíduo repassava um “formulário de batismo”, uma espécie de contrato para os novos integrantes, sendo que em uma das cláusulas era estipulado até a pena de morte, no caso de traição.

Ainda foi possível identificar duas lideranças atuando de dentro do IAPEN que estavam dando ordens e aval para o cometimento de crimes violentos nos bairros da capital, assim como indicando quem poderiam ser as lideranças pelos municípios do Estado.

Em alguns setores em que a liderança tem domínio, a FTSP desvendou um caso no qual um dos investigados deu ordem para punir civis que estariam infringindo regras estipuladas pela facção na área de atuação.

Os investigados poderão responder pelo crime de integrar organização criminosa. Em caso de condenação, as penas podem chegar até 8 anos de reclusão, mais pagamento de multa.

Fazem parte da Força Tarefa de Segurança Pública (FTSP) a Polícia Federal, PRF, PM, PC, IAPEN e mSEJUSP. A ação de hoje contou com o apoio do 4º Batalhão da PM.

Com informações da Comunicação Social da FTSP – Amapá