Segurança

Operação Incursio : Força Tarefa cumpre mandados para investigar facção criminosa em Macapá

As lideranças proibiam a prática de roubos em determinadas regiões para afastar o policiamento

A Força Tarefa de Segurança Pública do Amapá, com o apoio do GAECO, deflagrou na manhã sexta-feira (18/08) a Operação Incursio, com o cumprimento de seis mandados de busca e apreensão, sendo um no IAPEN e os demais no bairro Infraero, em Macapá.

A ação é um desdobramento da Operação Andes, em que foi identificado um sujeito de 34 anos que cometia o crime de tráfico de drogas. O investigado traficava na barraca de batatas de sua esposa, localizada na orla de Macapá. O indivíduo também fornecia para um parceiro que vendia o entorpecente em um ponto turístico da cidade, no Mercado Central.

A FTSP identificou um grupo virtual de faccionados, com o fim exclusivo de preparação e acertos de diversos crimes de roubos, tráfico de drogas e outros. O grupo servia como instrumento e meio para a consecução dos crimes da facção, como vigilância de policiais, sua organização, estrutura, regramento e controle, com foco e atuação na zona norte de Macapá.

A investigação identificou que um dos seus regramentos era a proibição de efetuar roubos de membros de determinada igreja e a vedação de se vangloriar por ter sido apadrinhado por alguém. No caso de descumprimento destas regras, os envolvidos poderiam ser punidos e até expulsos da facção.

Além do comércio ilegal de entorpecentes, nos quais se destacam de diversas formas a cocaína e a maconha, há presente a prática de roubos e furtos em vários bairros da zona norte.

A investigação verificou que lideranças da facção orientavam a suspensão de roubos na região, em determinados momentos, para evitar que os assaltos atraíssem mais policiamento para a região, o que estaria dificultando o tráfico de drogas.

Durante o cumprimento de um dos mandados de busca no bairro Infraero (ilha mirim), um investigado (31 anos) foi preso em flagrante, por tráfico de drogas. Na residência havia papelotes de crack embalados para a venda. O indivíduo foi encaminhado para a PF para os procedimentos cabíveis.

Os investigados poderão responder pelos crimes de tráfico de drogas e integrar organização criminosa. Em caso de condenação, poderá pegar uma pena de até 23 anos de reclusão mais pagamento de multa.

Fazem parte da Força Tarefa de Segurança Pública (FTSP) a Polícia Federal, PRF, PM, PC, IAPEN e SEJUSP.

 

Com informações da Comunicação Social da FTSP/AP