Segurança

Operação Hórus: 46 policiais cumprem mandados de prisão e apreendem armas no município de Pedra Branca, no Amapá

Dando ênfase as estratégias do Governo do Amapá, de combate ao crime no estado, a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) deflagrou a Operação Hórus, na manhã desta segunda-feira, 3, no município de Pedra Branca do Amapari.

Durante a ação, que contou com 46 policiais militares e civis, foram cumpridos quatro mandados de prisão e apreendidas seis armas de fogo, munições, dois celulares, porções e material para embalar drogas.

As armas apreendidas foram: um revólver calibre 38, duas espingardas, tipo cartucheira, duas armas de fabricação caseira e uma pistola calibre 380. Durante o cumprimento das ordens judiciais, dois suspeitos entraram em confronto com as equipes policiais e acabaram indo à óbito, mesmo após receberem atendimento de socorro.

O secretário em exercício da Sejusp, Paulo Reyner, destacou além de Pedra Branca do Amapari, a Operação Hórus será deflagrada em outros municípios do Estado, nos próximos dias.

“Conseguimos apreender drogas, munições e efetuar prisões. Estamos com várias vertentes integradas dentro da segurança pública para combater à criminalidade em todo o Amapá. Em breve outros municípios também serão alvo da operação Hórus”, disse o gestor

O trabalho policial foi planejado para atuar com ações repressivas e preventivas em áreas mapeadas e monitoradas previamente pelos setores de inteligência das polícias Militar (PM) e Civil (PC) e da Coordenadoria de Inteligência e Operações (Ciop/Sejusp).

A ação desta segunda-feira, no município, distante cerca de 183 quilômetros de Macapá, contou com 14 viaturas e as equipes do Grupo Tático Aéreo (GTA) e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core/PC).

Operação Hórus
A operação é um acordo entre o Governo do Amapá e o Ministério da Justiça, por meio da Sejusp, que tem o objetivo de implementar ações de prevenção, vigilância, fiscalização e controle nas regiões de fronteiras, divisas e áreas de interesse operacional, para reprimir delitos transacionais e crimes relacionados as respectivas regiões.

 

Com informações de Marcelle Corrêa 

Fotos: Divulgação/Sejusp