Política

Ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional visita o Cenad

Os ministros da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, e o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff, estiveram, na manhã da quarta-feira (8), no Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad). No encontro, foram apresentadas as ações desenvolvidas, os níveis operacionais do Centro de Monitoramento e Operações (CMO) e o funcionamento e as instalações do local.

Waldez Góes destacou a importância do Cenad na gestão de riscos de desastres e reforçou o empenho do Governo Federal para proporcionar ainda mais condições para que o Centro trabalhe no gerenciamento de riscos, protegendo a população que vive em locais mais vulneráveis aos desastres naturais.

“O Cenad é um instrumento fundamental na resposta, administração e gestão de desastres no Brasil. Vivemos em um País de dimensões continentais. Ao mesmo tempo, temos pessoas sofrendo com estiagem e com enchentes. Os investimentos no Centro foram significativos e precisam ser constantes, em pessoas, tecnologia e novos sistemas. A nossa visita é para dar essa mensagem: é prioridade para o governo Lula cuidar com todo o carinho para que o Cenad cumpra o seu papel, como tem cumprido, na gestão e no gerenciamento dos desastres”, ressaltou.

Durante a visita, os ministros conversaram, por videochamada, com os servidores que atuam em home-office e com parte da equipe do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O órgão atua ao lado do Cenad na avaliação, desenvolvimento e implementação de novas tecnologias para aprimorar o mecanismo de disseminação de alertas e informações sobre desastres naturais.

“Fiquei muito encantada, não só com os equipamentos, mas com a estratégia utilizada, ferramentas tecnológicas e com a paixão e o envolvimento de todos aqueles que trabalham para prevenir e fazer a gestão do risco de desastre, tão necessária pela urgência que isso tem pro dia a dia do povo brasileiro”, afirmou a ministra Luciana Santos.