Saúde

Ministério da Saúde reforça orientações e cuidados durante onda de calor

Página especial foi criada pela pasta com dicas de proteção. Hidratação contínua e uso de protetor solar são essenciais no período

O Brasil passa por uma nova onda de calor e altas temperaturas vão afetar principalmente as regiões Norte, Sudeste e Centro-Oeste do país, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Ao menos cinco capitais devem bater recordes de temperatura que devem passar dos 40°C.  Para encarar esse calorão, o Ministério da Saúde reforça medidas importantes, principalmente quanto à hidratação.

A ingestão de água é fundamental porque o nosso corpo precisa de líquido para manter a temperatura ideal de funcionamento. O uso do filtro solar também é essencial. Ele deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição ao sol para que seja absorvido e deve ser reaplicado a cada duas horas em que permanecer ao sol. O produto deve ser espalhado por todas as partes do corpo, incluindo mãos, orelhas, nuca e pés.

De acordo com a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e do Trabalhador, Agnes Soares, até mesmo as pessoas que moram em lugares em que estão acostumadas com o calor têm de pensar em formas de se proteger durante o período de altas temperaturas.

“Idosos, crianças, mulheres grávidas, pessoas doentes ou acamadas são vulneráveis e merecem mais atenção. Idosos e crianças, por exemplo, têm muita dificuldade de reconhecer a sede. Por isso, é necessário oferecer água com muito mais frequência a eles”, alerta Agnes.

Confira alguns cuidados essenciais para se proteger do calor:

– Aumente a ingestão de água ou de sucos de frutas naturais, sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede;

– Evite bebidas alcoólicas e com elevado teor de açúcar;

– Evite a exposição direta ao sol, em especial, de 10h às 16h;

– A exposição ao sol sem a proteção adequada contra os raios ultravioleta deixa a pele vermelha, sensível e com bolhas. Use protetor solar;

– Use chapéus e óculos escuros;

– Proteja as crianças com chapéu de abas.

O Ministério da Saúde disponibilizou uma página especial com mais recomendações. As orientações estão disponíveis também nas redes sociais da pasta.

 

Com informações de Nathan Victor
Ministério da Saúde