Educação

Gestores participam da segunda etapa do Censo Escolar 2022

A Secretaria de Estado de Educação (Seed) realiza a segunda etapa do Censo Escolar 2022 de 1º de fevereiro a 17 de março. Esta fase refere-se ao módulo “Situação do Aluno” e é voltada para os gestores escolares, que devem inserir os dados no sistema educacenso. O Centro de Pesquisas Educacionais (Cepe/Seed) é quem coordena a ação no Amapá.

Foto: Glauber Tiriyó/ Ascom Seed

 

Ao final do ano letivo, o módulo “Situação do aluno” coleta as informações de rendimento e movimento dos estudantes declarados na matrícula inicial. Os gestores declaram a condição do aluno: aprovado ou reprovado.

Em alguns casos, as declarações são de transferência, deixou de frequentar ou falecido. Essas informações indicam a movimentação do estudante durante o ano letivo e também são importantes para a consolidação dos dados.

De acordo com a técnica do Cepe/Seed Tâmara Varejão, os dados ajudam os órgãos de controle a entender quais ações foram efetivas nas instituições de ensino.

“Com essas informações, os órgãos de controle vão ter uma compreensão significativa dos resultados da aprendizagem alcançados e a efetividade das políticas públicas voltadas à educação, portanto nossos gestores precisam inserir esses dados na plataforma”, reforçou Tâmara.

Capacitação

Para preparar os gestores, a equipe do Cepe/Seed oferece treinamento da Plataforma Educacenso, em Macapá, nos dias 30 e 31, na Escola Estadual Barão do Rio Branco. E em Santana, no dia 1º de fevereiro, na Escola Estadual Profº José Barroso Tostes. Qualquer dúvida sobre os horários, pode ser sanada com o técnico de Coleta do Censo Escolar, responsável pela escola.

Censo Escolar

O Censo Escolar é um levantamento de dados estatísticos da educação básica, de âmbito nacional, realizados todos os anos e coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).  Por meio dele é possível fazer o levantamento sobre a infraestrutura das escolas, matrículas e funções docentes, abandono, reprovação e aprovação de alunos.

Os dados coletados são utilizados como base para planejamento e implementação de políticas públicas educacionais, desenvolvidas pelo Ministério da Educação, bem como para o repasse dos recursos destinados às escolas. As informações declaradas também são usadas na composição das médias do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), referência para as metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE).

Texto: Bárbara Ribeiro