Segurança

FICCO/AP reprime núcleo responsável por recrutamento de pessoas para integrar organização criminosa atuante no Amapá

Detentos do IAPEN eram os principais alvos do recrutamento

Na manhã desta sexta-feira (19), a Força Integrada de Combate ao Crime Organizado no Amapá (FICCO/AP) deflagrou a Operação Mandare, onde foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão, no quais sete foram no Instituto de Administração Penitenciária do Estado do Amapá (IAPEN) e um no bairro São Lázaro, em Macapá.

A investigação teve início com base informações obtidas pelo próprio IAPEN, após uma revista em um dos pavilhões do presídio. A FICCO conseguiu identificar um núcleo responsável pelo recrutamento de novos integrantes para pertencer à facção criminosa com forte atuação no tráfico de drogas no Amapá, além de influenciar diversos crimes violentos em todo o Estado.

Este núcleo tinha como principal objetivo o recrutamento de pessoas que já estavam cumprindo pena no IAPEN e possuía um esquema elaborado para organizar a inscrição dos novos membros e seus respectivos “apadrinhamentos”. Além do cadastro de novos integrantes, os investigados são suspeitos de coordenar o tráfico de drogas e a comercialização de armas de fogo em Macapá e região metropolitana.

Os indivíduos abordados podem responder pelos crimes de integrar organização criminosa, tráfico de drogas e de armas, cujas penas podem superar os 30 anos de reclusão, mais pagamento de multa.

Fazem parte da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado no Amapá (FICCO/AP) a Polícia Federal (PF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Polícia Civil (PC), a Polícia Militar (PM), a Polícia Penal (PP) e a Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Amapá (SEJUSP).

 

Com informações da Comunicação Social da FICCO – Amapá