Educação

Estudantes do Amapá disputam torneio de robótica no Rio de Janeiro

Duas equipes do SESI competem com réplicas de carros da Fórmula 1 e robôs de até 19 kg

Na terça-feira, 1 de agosto, duas equipes da Escola SESI Amapá vão embarcar para o Rio de Janeiro para competir no Festival SESI de Robótica Off-Season. Realizado pelo Serviço Social da Indústria (SESI) nacional, o evento ocorre entre os dias 2 e 5 de agosto na Marina da Glória, na cidade carioca.

O torneio vai reunir 90 equipes, com 6 a 10 integrantes cada, de 24 estados brasileiros. Os estudantes, do ensino médio, competem em uma das três modalidades – F1 in Schools, FIRST Tech Challenge (FTC) e FIRST Robotics Competition (FRC) -, que envolvem desde réplicas de carros de Fórmula 1 a robôs que chegam a 2 m de altura e 56 kg.

Os times do SESI Amapá vão competir em duas categorias. A Escuderia Tachí disputará na categoria F1 in Schools. É liderada pelos técnicos Pedro Vieira e Jefferson Nascimento e composta por: Bruna Borges, Ianis Bezerra, Leila Sayumi e Pedro Nascimento.

Na categoria FTC, a equipe Marco Zero Enterprise irá acompanhada pelos técnicos Echnaton da Silva e Jefferson do Nascimento. Seus componentes são: Aleilson Marques, Lucas Pinheiro, João Lucas Ventura, e Eduardo Brito.

Na F1 in Schools, os alunos modelam e constroem um carro em miniatura de Fórmula 1, que corre em uma pista reta de 20 metros impulsionado por um cilindro de CO2. Já na FTC, eles constroem e programam robôs de médio porte, de até 19kg, a partir de um kit de peças reutilizáveis para que eles cumpram atividades, como carregar discos e blocos, em uma arena.

O professor Jefferson Nascimento ressalta o benefício que a robótica traz. “A robótica é um poderoso instrumento pedagógico, pois melhora o raciocínio, a criatividade, e os prepara para lidar com a tecnologia. Levar isso para dentro da sala de aula serve como um atrativo educacional”, destaca o técnico da Escuderia Tachí.

Atributos avaliados

Não são só a velocidade do carro na pista e o desempenho dos robôs na arena que contam. Os estudantes também são avaliados pelos diversos recursos que utilizam para projetar, modelar, construir e programar os robôs e as miniaturas de carros da Fórmula 1; além de projetos sociais com a comunidade e do plano de marketing e da gestão financeira das equipes.

Com o intuito de mostrar o potencial da robótica, as duas equipes da Escola SESI Amapá ministraram oficina para alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). Em uma ação dedicada à inclusão tecnológica, os membros da Escuderia Tachí e da Marco Zero Enterprise ensinaram a montar robô, explicaram um pouco do mundo das competições e como foi a preparação para o festival.

A diretora da APAE, Patrícia Galvão, definiu o momento como um dia especial. “Foi com imensa alegria e orgulho que recebemos a oficina de robótica. Um momento único de aprendizado, criatividade e diversão. Gostaríamos de agradecer ao SESI/SENAI por essa parceria maravilhosa que nos proporcionou essa experiência incrível. Juntos, construímos oportunidades de desenvolvimento e inclusão, trazendo tecnologia e conhecimento para nossos alunos e para a comunidade apaeana”, completou.

 

 

Com informações SESI/Senai