Segurança

Dirigir sem CNH e recusa ao teste do bafômetro lideram infrações de trânsito no Amapá

Dirigir sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a recusa ao teste do etilômetro, também conhecido como bafômetro, foram as infrações de trânsito mais registradas de janeiro até o dia 30 de março deste ano. É o que apontam as estatísticas da Operação Lei Seca divulgadas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AP).

Foram 3.644 condutores abordados durante as blitze nas vias urbanas e rodovias estaduais do Amapá. Do total de motoristas, 44 dirigiam sem a CNH e 24 conduziam o veículo com o documento vencido há mais de 30 dias. Nesses casos, o automóvel é retido até que uma pessoa habilitada se apresente para fazer a retirada.

Foto: Ascom Detran/AP

O teste do etilômetro, que identifica a presença de álcool no sangue, foi realizado em 3.599 condutores, e outros 45 se recusaram ao procedimento.

De acordo com o diretor de Fiscalização do Detran-AP, Jonas Meguins, a recusa ao teste de alcoolemia é uma infração correspondente às mesmas penalidades e medidas administrativas aplicadas ao condutor que é flagrado dirigindo sob a influência de álcool, por isso, considerada gravíssima e punida com pagamento de multa multiplicada por dez vezes e suspensão do direito de dirigir.

“O condutor que recusa o teste, em tese, bebeu. Por isso é uma infração tratada tal qual a de alcoolemia, embora não se apresentem sinais visíveis de ingestão de bebida alcoólica”, explicou Meguins.

O diretor de Fiscalização acrescenta que no primeiro trimestre, 22 pessoas foram flagradas dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas, sendo o maior volume de ocorrências registrado durante o mês de fevereiro, no período de Carnaval.

Ascom Detran/AP