Cidades

CSA inicia mapeamento aéreo das regiões onde serão implantadas as novas redes de água e esgoto

Os investimentos são na ordem de mais de R$ 1 milhão e meio e a topografia aérea terá 300 km de área levantada, localizada entre os municípios de Macapá, Santana e Mazagão. Os primeiros voos de coleta iniciaram na última sexta-feira (07/04).

A Concessionária de Saneamento do Amapá (CSA) iniciou na sexta-feira (07/04) a construção de uma base cartográfica e topografia completa que vai mapear as áreas onde podem ser instaladas novas redes de água e esgoto na região metropolitana de Macapá. É a primeira vez que um mapa aéreo deste porte, voltado para as operações de saneamento, é construído no Amapá. O trabalho será executado com um avião contratado pela concessionária e seu resultado servirá como subsídio para o desenvolvimento de futuros projetos executivos no setor.

As equipes farão voos pela região metropolitana de Macapá.

São investimentos de mais de R$ 1 milhão e meio e os voos ocorrem ao longo da semana. A expectativa é que a topografia aérea tenha 300 km de área levantada, concentrada nas regiões urbanas dos municípios de Santana, Macapá e Mazagão. A previsão é que o material completo seja finalizado em até 100 dias.

A CSA assumiu as operações em julho de 2022 no estado, com 362 quilômetros de rede de esgoto e 938 quilômetros de rede de água existentes, com concentração de maior parte na capital Macapá. A meta da concessão é alcançar 90% de universalização destes serviços de 11 a 17 anos, para isso, o trabalho de mapeamento aéreo também vai auxiliar na construção dos projetos de expansão das redes.

Como funciona 

O trabalho é desenvolvido em duas etapas. A primeira, onde a equipe em solo irá fazer a implantação de 100 marcos geodésicos e desenvolver cadastro de pontos já existentes no terreno coletado, como poços de visita, bocas de lobo e pontos de drenagem que possam gerar interferência com a futura rede coletora de esgoto. A segunda iniciará o processo de elaboração de uma série de imagens para mapeamento aéreo dos municípios através de voos tripulados. A produção dessa base é uma iniciativa inédita no Amapá e marca o compromisso da CSA em construir um novo momento no saneamento do estado.

Paulo Sérgio Reis, engenheiro de projetos da CSA.

“Estamos desenvolvendo um dos elementos indispensáveis para o recondicionamento, melhorias e ampliação dos nossos sistemas. O equipamento embarcado nesta aeronave permite o escaneamento de toda a cidade através de feixes a laser, gerando topografia e outros elementos indispensáveis para o desenvolvimento dos projetos. O estado do Amapá não possui este tipo de tecnologia para contribuição das operações de água e esgoto. É inovação e um grande investimento que reitera o nosso compromisso em mudar a realidade do saneamento no estado”, explica Paulo Reis, engenheiro de Projetos da CSA.

 

 

Texto: Marcelle Nunes