Cidades

CEA Equatorial e Procon-AP assinam termo para canal direto de atendimento para acelerar demanda de consumidores

Com o intuito de tornar célere o processo de demandas que chegam ao Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá, (Procon), a CEA Equatorial juntamente com o órgão assinou na segunda-feira, 27, um termo de cooperação para dar início ao projeto Linha Direta, que tem o objetivo de garantir que os consumidores e clientes da CEA Equatorial tenham garantia de uma resposta rápida e eficaz de suas reclamações junto ao Procon, visando promover o diálogo prévio evitando assim o superendividamento.

Estiveram presentes na cerimônia o diretor do Procon-AP, Matheus Pinto e presidente da CEA Equatorial, Augusto Dantas. Segundo o presidente da distribuidora, o programa seguirá também para outros órgãos do Amapá.

“O convênio firmado é muito necessário e tem como principal função permitir que o consumidor tenha as suas demandas tratadas e tenha também um maior amparo. Agora a ideia é que nós possamos avançar com essa iniciativa e levá-la para outros órgãos de defesa do consumidor aqui do estado”, afirmou.

O diretor do Procon também reforçou a necessidade da parceria e a mudança para a população.

“O canal buscará resolver de forma mais eficiente esse atendimento. Hoje temos uma alta demanda e agora podemos diminuir esse número , trazendo muitos benefícios para a população”, disse.

O programa tem também como finalidade orientar e tratar as demandas pré-processuais, por meio de atendimento preliminar junto ao órgão além de criar um canal exclusivo de comunicação entre as instituições, seja através de e-mails, telefones ou de forma presencial, para o devido encaminhamento das reclamações realizadas. O Projeto Linha Direta será implantado na sede do Procon nos dias e horários ajustados entre as partes se necessário o atendimento presencial.

Matheus Pinto, diretor do Procon, Erika Veras, gerente jurídica da CEA Equatorial e Augusto Dantas, presidente da distribuidora reuniram na sede do Procon-AP para assinatura do termo de cooperação. (Foto: Divulgação/ CEA Equatorial)

O consumidor que pretende registrar alguma reclamação será atendido previamente pelo funcionário do Procon, que encaminhará a demanda para a concessionária para a devida tratativa, após isso o órgão encaminhará as demandas para a empresa distribuidora. Após o recebimento da demanda, a CEA Equatorial, no prazo de cinco dias, procederá com a análise e elaboração de parecer comercial, encaminhando-o junto com a proposta ao Procon, que receberá o parecer e a proposta da concessionária e entrará em contato com o consumidor para lhe apresentar a resposta da empresa e dar retorno à distribuidora sobre a tratativa, no prazo de até dez dias.

Se a proposta for aceita pelo cliente, a tratativa será finalizada e, se havendo discordância, será realizada uma audiência com a presença de representante da empresa, no prazo de até cinco dias. Com esse procedimento, a tratativa deverá ser finalizada no prazo de até 20 dias, período em que a unidade consumidora ficará bloqueada para as ações de cobrança, incluindo, suspensão do fornecimento.

Desde que comprovado justo motivo, o prazo para o término da tratativa poderá ser prorrogado por mais dez dias, finalizando-se, assim, no prazo máximo de até 30 dias. Finalizando a tratativa no prazo ajustado, ocorrerá o desbloqueio automático da unidade.

Importante destacar que uma vez tratada a demanda, o consumidor não poderá mais utilizar do Canal Linha Direta para obter bloqueio da unidade consumidora e, consequentemente, impedir a adoção das ações de cobrança pela concessionária, desde que o objeto da nova demanda seja o mesmo daquela já finalizada.

O projeto já está em vigor e o consumidor pode ser atendido no prédio do Procon no Amapá, localizado na Avenida Henrique Galúcio, 1155 – B, bairro Central.

 

Com informações Divulgação/ CEA Equatorial)