Cidades Política

CEA Equatorial anuncia plano para implantação de sistemas fotovoltáicos em áreas ribeirinhas no Amapá

Ligações serão realizadas através do Programa Luz Para Todos e pela implantação de sistemas fotovoltáicos em áreas ribeirinhas.

Na tarde de ontem, 19, foi apresentada pela CEA Equatorial , em uma reunião com a comitiva do Governo do Estado, o planejamento de universalização do fornecimento de energia em comunidades rurais e ribeirinhas no Amapá. Para 2023, estão previstas seis mil novas ligações, possibilitando que mais famílias possam usufruir de um fornecimento de energia 24 horas. A meta da empresa é alcançar os 100% de cobertura do serviço nestas regiões até 2024.

Destas seis mil ligações, 3.500 serão executadas por meio do Programa Luz Para Todos nos 16 municípios do Amapá. Para realizar estas ligações, a CEA Equatorial vai construir mais de quilômetros de rede elétrica. De acordo com o presidente da CEA, Augusto Dantas, o trabalho já começa em maio e deve se estender até o mês de dezembro.

Foto: CEA Equatorial

“Vamos levar energia de qualidade aos moradores de comunidades que hoje são atendidas por sistemas de geração térmica, que consomem combustível e têm o fornecimento fracionado. Cada morador terá uma ligação bifásica e receberá energia com segurança”, destacou.

Ainda segundo o presidente, o investimento para a implantação destas novas ligações será de R$ 56 milhões.

Implantação de sistemas fotovoltaicos

Para o atendimento às comunidades ribeirinhas, a CEA Equatorial está preparando para 2023, 2.500 novas ligações através de sistemas fotovoltaicos, que funcionam por meio da energia solar.

Serão atendidas inicialmente as comunidades que residem nas regiões do Rio Araguari, Reserva do Rio Cajari, Sucuriju e Arquipélago do Bailique que pertencem aos municípios de Tartarugalzinho, Cutias do Araguari, Laranjal do Jari, Vitória do Jari, Mazagão, Amapá e Macapá, respectivamente.

“O sistema fotovoltáico foi a solução que encontramos para melhorar o fornecimento nas regiões ribeirinhas do Pará e queremos aplicar aqui no Amapá de forma inédita para dar mais dignidade às famílias que vivem nestas regiões com uma energia de qualidade”, reforçou.

Cada família receberá um sistema individual que é alimentado por uma bateria de lítio. Por meio deste sistema, cada família poderá ter em sua residência uma geladeira, um televisor, lâmpadas e até dois ventiladores. A manutenção dos sistemas será de responsabilidade da CEA Equatorial. O investimento é de R$ 96 milhões.

O valor médio mensal do consumo de energia através deste tipo de sistema pode variar entre R$ 13 a R$ 16. Dentro do planejamento da empresa para a implantação dos sistemas, há a inclusão da Tarifa Social para as famílias contempladas, além do Programa Luz Paga em parceria com o Governo do Amapá.

O vice-governador do Amapá, Teles Júnior, frisou a importância dos investimentos na melhoria do serviço e no impacto social e econômico para estas regiões.

“Para desenvolvermos nossa área rural e ribeirinha precisamos ter inicialmente um bom fornecimento de energia, que possibilite que a população possa trabalhar em diversos segmentos como a agricultura, a pesca, a produção extrativista. Saber que existe um planejamento fajuto e com um cronograma de ações a um curto prazo por parte do Grupo Equatorial é muito importante, pois poderemos realizar outras ações que impactam positivamente na vida desses amapaenses”, declarou.

 

Arquipélago do Bailique

As comunidades pertencentes ao Arquipélago do Bailique serão as primeiras a receber os sistemas fotovoltaicos. Além disso, a CEA Equatorial está realizando um forte trabalho operacional na manutenção da rede existente, mesmo com o avanço do fenômeno das terras caídas.

A empresa possui uma equipe operacional compostas por 16 profissionais na comunidade, além de uma lancha para a realização do atendimento das ocorrências.

Em relação aos serviços realizados, a empresa atua na limpeza contínua de faixa da rede que atravessa o Rio Amazonas e recuperou o cabo subaquático da Vila Macedônia e na travessia do Rio Flexal e Rio Mamão.

A CEA Equatorial também recuperou a rede de média e baixa tensão na Vila Macedônia, Vila Andiroba e Vila Cubana.