Economia

Bolsa Família alcança 124 mil famílias em maio no Amapá

Total de recursos destinados ao estado supera R$ 83 milhões. Pagamentos têm início nesta quinta-feira, 18/5

No mês de maio, o Governo Federal investiu R$ 83 milhões em repasses para garantir a 124.533 famílias amapaenses o pagamento do Bolsa Família. O valor médio para cada família chegou a R$ 693,26. Os valores são inéditos na história do programa no estado, que em abril teve o valor médio em R$ 691,43. Os pagamentos serão iniciados nesta quinta-feira, 18/5, para beneficiários com o final do Número de Identificação Social (NIS) 1.

Do total de repasses, mais de R$ 9,87 milhões serão destinados ao Benefício Primeira Infância (BPI), um adicional de R$ 150 que alcança crianças de zero a 6 anos dentro da composição familiar. Neste mês, 65.838 integrantes dessa faixa etária estarão amparados no estado.

As cidades com o maior número de beneficiários são a capital do estado Macapá (58.953), seguida por Santana (22.958), Laranjal do Jari (9.355), Mazagão (5.559) e Oiapoque (4.026).

RECORDES – Neste mês, o valor médio pago em todo o país no Bolsa Família é o mais alto de todos os tempos. São R$ 672,45, acima dos R$ 670,49 registrados em abril. O programa está nos 5.570 municípios do país e, neste mês, o valor total pago pelo Governo Federal soma R$ 14,1 bilhões: é o maior da história do programa de transferência de renda.

1 MILHÃO DE INCLUÍDOS – Desde o relançamento em março, o Bolsa Família incluiu mais de 1 milhão de famílias. São pessoas que preenchem os requisitos para estar na lista e estavam fora até então. Entre março e abril, 808 mil famílias foram incluídas. Em maio, mais 200 mil.

R$ 150 PARA 9 MILHÕES – O Bolsa Família garante o mínimo de R$ 600 e, neste mês, mais de 9 milhões de crianças de zero a seis anos serão assistidas com o Benefício Primeira Infância, superando as 8,89 milhões de abril. Para isso, estão reservados mais de R$ 1,35 bilhão.

REGIÕES — No recorte por regiões, o maior número de beneficiários se concentra no Nordeste, que terá mais de 9,75 milhões de famílias assistidas em seus nove estados, resultado de um investimento federal de mais de R$ 6,37 bilhões. O valor do benefício médio a ser pago no Nordeste é de R$ 664,38, acima dos R$ 662 de abril.

Foto: Reprodução

O Sudeste é a segunda região com maior número de contemplados, com 6,33 milhões de famílias. Os repasses federais ultrapassam os R$ 4,25 bilhões e o valor médio do benefício pago nos quatro estados da região é de R$ 672,32, superando os R$ 669 de abril.

Na sequência vem a Região Norte, com mais de 2,59 milhões de contemplados em seus sete estados, a partir de uma transferência de mais de R$ 1,7 bilhão, o que garante um benefício médio de R$ 688,15, igualmente maior do que os R$ 686 pagos em abril.

A Região Sul tem mais de 1,43 milhão de famílias beneficiárias em seus três estados. Elas recebem um valor médio de R$ 685,13 (em abril eram R$ 683) por meio de um repasse federal de R$ 979,59 milhões.

Por fim, a Região Centro-Oeste se destaca por ter o maior valor médio do benefício do país. As mais de 1,13 milhão de famílias assistidas nos três estados e mais o Distrito Federal receberão, em média, R$ 691,20, superando os R$ 689 de abril. O total de recursos federais transferidos é de mais de mais de R$ 779,94 milhões.

ESTADOS — No recorte por Unidades da Federação, São Paulo é o estado brasileiro com maior número de famílias assistidas. São mais de 2,579 milhões, com repasses federais superiores a R$ 1,74 bilhão e benefício médio de R$ 678,25. A Bahia aparece em seguida, com 2,572 milhões de famílias atendidas. São mais de R$ 1,67 bilhão em recursos e o valor médio de benefício de R$ 658,89. Outros seis estados reúnem mais de um milhão de famílias contempladas em maio: Rio de Janeiro (1,82 milhão), Pernambuco (1,67 milhão), Minas Gerais (1,62 milhão), Ceará (1,49 milhão), Pará (1,35 milhão) e Maranhão (1,23 milhão).

 

Com informações da Secretaria da Presidência da República