Cultura

Bloco ‘A Banda’ traz homenagem aos 80 anos de criação do Amapá

Nesta terça-feira, 13, as ruas de Macapá serão tomadas por uma maré humana, em mais uma edição de ‘A Banda’, o maior bloco de carnaval de rua da região Norte . Em 2024, a manifestação cultural reforça a importância da inclusão de pessoas com deficiência e homenageia os 80 anos de criação do Amapá nos adereços de um dos tradicionais bonecos que fazem parte da tradição de 59 anos.

O Governo do Estado apoia ‘A Banda’, que espera reunir mais de 150 mil foliões para dançar e se divertir no ritmo dos tamborins com muita cor e fantasias irreverentes, espalhando alegria pelo Centro da cidade. Um dos destaques deste ano é o ‘Bloco Medida Protetiva’, promovido pela Secretaria de Estado de Políticas para Mulheres, que enfatiza o lema ‘Não é não’, contra a importunação sexual.

“Este ano, A Banda também reforça o combate a qualquer tipo de preconceito ou assédio”, afirma o secretário do bloco, Helder Savino.

Durante o trajeto, a Superintendência de Vigilância e Saúde (SVS) prevê a distribuição de mais de 20 mil preservativos masculinos por meio de dispensadores, em um incentivo à prevenção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Tradição

A Banda surgiu em 1965, criada por um grupo de amigos, em um jogo de carteado e é conhecida pelos seus tradicionais bonecos, com metros de altura. Ao todo, são nove personalidades homenageadas. Há, ainda, cinco trios elétricos e artistas locais. Antes do bloco iniciar sua passagem pelas ruas, a organização serve um caldo para garantir energia aos foliões.

A concentração começa às 8h, na Avenida Iracema Carvão Nunes, com a expectativa de término às 19h, na sede do bloco. O percurso inicia na praça Veiga Cabral, passando pelas ruas Cândido Mendes, Henrique Galúcio, Tiradentes, Avenida Feliciano Coelho, Rua Leopoldo Machado e finalizando na Avenida Ernestino Borges.

Segurança reforçada

Foto: Maksuel Martins/GEA e Gabriel Penha

De acordo com o Plano Operacional de Segurança para o Carnaval, A Banda contará com policiamento a pé, motorizado, aéreo e de trânsito, com barreiras em locais estratégicos e atuação da Operação Lei Seca.

No bloco, serão três ambulâncias, sendo duas de suporte avançado e uma intermediária. O Hospital de Emergências (HE) de Macapá será a unidade de retaguarda para atender os casos de urgência e emergência. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Sul ficará responsável por receber os casos de média complexidade registrados pelas equipes.

 

Com informações de Winicius Tavares