Política

Após compromisso de Lula, Davi e Clécio discutem solução real com ministro para frear aumento da conta de luz no Amapá

Um dia após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o senador Davi Alcolumbre e o governador do Amapá, Clécio Luís alinham solução com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, para frear o aumento da tarifa de luz dos amapaenses.

A reunião aconteceu nesta sexta-feira (24) no gabinete de Alcolumbre e detalhou os próximos passos em busca de uma solução definitiva para o aumento da tarifa de energia

Após lideranças políticas do Amapá terem se reunido ontem (23) com o Presidente Lula para solicitar ao governo federal o apoio para impedir a possibilidade de reajuste de quase 45% na conta de energia dos amapaenses, Lula garantiu que o Amapá não sofrerá um aumento tão abusivo na conta de energia.

No encontro desta sexta-feira, o ministro Alexandre Silveira garantiu ao senador e ao governador que, juntamente com a sua equipe técnica, e obedecendo a determinação do Presidente se dará uma solução real e definitiva para frear o aumento da tarifa de energia elétrica no Amapá: “Nós passamos hoje a manhã inteira trabalhando com o Presidente Lula, buscando soluções para o setor elétrico, em especial sobre a questão tarifária do Amapá, que vive hoje uma angústia muito grande em relação a isso. A bancada federal liderada pelo presidente Davi, pelo governador Clécio e ministro Waldez levaram o problema ao presidente da República que determinou a mim encontrar uma solução para que a gente evite esse aumento na tarifa que tanto atingiria a economia do Amapá e também as pessoas mais humildes. Então, reafirmo aqui que essa solução será dada”, enfatizou Silveira.

Em setembro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou reajuste tarifário de 44,41% para o Amapá a partir de 13 de dezembro, fazendo com que o estado possua a conta de energia mais alta do país. “Somos um estado pequeno, com uma desigualdade social muito grande para possuir a tarifa de energia elétrica mais cara do país. Não faz o menor sentido”, destacou Alcolumbre.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Amapá é o segundo estado menos populoso do Brasil, com 733,5 mil habitantes. Em primeiro lugar está Roraima, com 636 mil residentes e em terceiro está o Acre, com 830 mil habitantes.

Cerca de 211 mil unidades consumidoras são atendidas nos 16 municípios do Amapá. Desse total de unidades, 210 mil são de consumidores residenciais. O reajuste proposto para as unidades de alta tensão é de 46,70%; de médio, 44,41%; de baixa tensão, 43,71%. A explicação da agência é de que a revisão seria para compensar custos com encargos setoriais e de distribuição, além de investimentos realizados desde 2017 em função da baixa densidade demográfica e unidades consumidoras dispersas.

Para o governador do Amapá, a reunião trouxe alívio para a população. “Só tenho a agradecer, em nome do povo do Amapá, saio daqui confiante de que tanto o ministro quanto o presidente Lula darão um desfecho a contento do que precisamos”, pontuou Clécio.

O senador Davi enfatizou a união das lideranças políticas do Amapá na busca de uma solução. ” A Assembleia Legislativa do Estado, a bancada federal  os três senadores da República e o ministro Waldez Góes estão unidos nessa causa. Toda minha gratidão e agradecimento ao seu empenho, principalmente toda minha gratidão em nome das famílias mais carentes de nosso estado que jamais poderiam arcar com um aumento dessa proporção. Faço questão ainda de agradecer ao presidente Lula por sua sensibilidade e compreensão das necessidades das famílias mais vulneráveis do Amapá que, sem dúvida, seriam as mais atingidas por esse aumento na tarifa de energia elétrica”