Segurança

Amapá integra operação nacional de combate à violência contra a pessoa idosa

Foi deflagrada nesta segunda-feira (10), no Amapá, a operação “Virtude”, que busca respostas rápidas e eficientes para o combate à violência contra a pessoa idosa. As ações preventivas, educativas, ostensivas e repressivas seguem até o dia 12 de julho em todo o Brasil.

A atividade integra o ‘Junho Violeta’, mês que alerta para a conscientização e combate à violência contra pessoas longevas. Promovida pelo Ministério da Justiça e, no estado, pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), a operação é coordenada pela Polícia Civil, por meio da 5ª Delegacia de Polícia da Capital, contando com apoio da Polícia Militar.

“Essa operação visa conscientizar a população, trabalhando em caráter preventivo e, principalmente repressivo. A operação vai estar inicialmente em Macapá e Santana, mas será expandida para diversas cidades do estado, abrangendo 14 municípios”, destacou o secretário adjunto de Segurança Pública do Amapá, Marko Scaliso.

O combate à violência aos idosos abrange todos os tipos de agressão, como física, psicológica, sexual, patrimonial e institucional. De acordo com a delegada titular da 5ª DPC, Livia Pontes, de janeiro ao começo do mês de junho, mais de mil boletins de ocorrência foram registrados em todo o estado.

“Foram 1030 ocorrências levantadas e registrado , e o que mais chama a atenção é o sujeito ativo da violação. Muitos desses crimes, principalmente o abandono, a negligência, a violência psicológica e financeira, são crimes praticados por pessoas próximas, como filhos, netos e sobrinhos”, ressaltou Lívia Pontes, que também é coordenadora estadual da operação “Virtude”.

Este ano, participa também da iniciativa a guarnição da Patrulha Maria da Penha, da Polícia Militar. O apoio operacional e preventivo segue os planos de integração das forças de segurança para ampliar o número de idosos atendidos, além de reforçar a rede de atendimento.

“A Patrulha Maria da Penha irá atuar principalmente no viés preventivo e educativo, levando palestras de conscientização para que essas informações consigam chegar à sociedade e a pessoa idosa possa saber dos seus direitos, denunciando qualquer situação de violência”, informou a tenente da PM e coordenadora da Patrulha Maria da Penha, Waldenice Nogueira.
Denúncias

As denúncias podem ser feitas através do número 190. O Centro Integrado de Operações e Defesa Social (Ciodes) irá direcionar o fato às equipes competentes. Em todas as plataformas as denúncias são gratuitas, anônimas e recebem um número de protocolo para que a pessoa denunciante possa acompanhar o andamento do processo.

Em âmbito nacional, as denúncias podem ser realizadas através do Disque 100, ou ainda pelo Disque Direitos Humanos, por meio do WhatsApp (61) 99611-0100. É possível efetuar a ação pelo aplicativo de mensagens Telegram e pela página da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, no site do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania.