Economia

Amapá desponta como líder nacional no crescimento da renda familiar per capita em 2023

Aumento em 29,1% comparação ao ano anterior é reflexo de uma série de políticas desenvolvidas pelo Governo do Estado para fomentar a economia local.

Entre os estados brasileiros, o Amapá obteve o maior crescimento no rendimento mensal nominal per capita da população residente, em 2023, registrando uma elevação de 29,1% em comparação ao ano anterior. O avanço é resultado de um conjunto de ações e políticas estratégicas implementadas pelo Governo do Estado nas áreas do comércio, indústria e serviços para impulsionar a economia local com mais oportunidades de empregos e renda para os amapaenses.

A média de renda domiciliar mensal do Amapá foi de R$ 1.520, a terceira maior da região norte. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PnadC) e foram divulgados na quarta-feira, 29, pelo Instituto de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O rendimento domiciliar per capita foi calculado como a razão entre o total dos rendimentos domiciliares (em termos nominais) e o total de moradores dos domicílios, inclusive aqueles classificados como pensionistas, beneficiários de programas sociais, empregados domésticos e parentes deles.

Mais empregos e novos negócios

De acordo com a Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), os números de geração de emprego no Amapá estiveram bem acima da média dos anos anteriores, com um saldo de 5.701 novos postos de trabalho, sendo a maior variação relativa de empregos do país, com um aumento de 7,45%, maior que a média da região norte, com 5,21% e do Brasil, com 3,50%.

Os resultados positivos são frutos da atuação do Governo do Estado na execução de políticas públicas no setor econômico que possibilitaram a atração de novos investimentos e abertura de empresas locais com o aproveitamento da mão de obra em diversas atividades. O Amapá registrou a abertura de 1,7 mil novos negócios em 2023 e um aumento de 400% na emissão de licenciamento ambiental, documento que concede autorização para o funcionamento dos empreendimentos.

Bioeconomia e desenvolvimento sustentável

O Programa Selo Amapá, desenvolvido pelo Governo do Estado, valoriza os produtos que utilizam matéria-prima local e respeitam o controle de qualidade, leis ambientais e trabalhistas, agrega valor econômico e ambiental aos produtos genuinamente amapaenses.

“A marca do Selo é um estímulo ao processo de substituição de importação, com reconhecimento dos produtos no comércio nacional e internacional, além de estimular o consumo de produtos genuinamente amapaenses”, destaca o vice-governador do Amapá, Teles Júnior.

No setor florestal, base da economia do estado, também houve avanços. Foram emitidas 30 Autorizações de Exploração Florestal (Autex) em 2023, enquanto em 2022 foram apenas 6, um aumento de 400%. Dentre elas, destaca-se o licenciamento do maior plano de manejo florestal sustentável do Brasil, o Projeto PAE Maracá, gerando emprego e renda aos moradores de Mazagão.

Foto: Divulgação

Fortalecimento da economia com grandes eventos

O setor cultural é visto como fundamental para o desenvolvimento econômico do estado. Pensando nisso, em 2023, como uma política de valorização e resgate histórico, o Governo do Estado trouxe de volta os grandes eventos, como o desfile das escolas no Sambódromo, o Réveillon Beira Rio, a Expofeira e o Arraiá do Povo.

A 52ª Expofeira garantiu mais de R$ 5,7 milhões em renda para empreendedores, além de impulsionar mais de 6 mil empregos em diversos setores. Em apenas três dias de evento, o Réveillon Beira Rio 2024 possibilitou renda de mais de R$ 1 milhão para trabalhadores da capital.

Foto: Maksuel Martins/GEA

Mais servidores e reajuste salarial

Como política de valorização do servidor público, o Governo do Estado, ao longo de 2023 convocou mais de 2,6 mil candidatos aprovados nos concursos da Polícia Científica, da Educação, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Civil, do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Além disso, os servidores públicos estaduais tiveram um reajuste salarial linear de 5,6%, o que representa a injeção de R$ 176 milhões por mês na economia local, além do reajuste de 4,8% somente para os profissionais da educação.

Para o vice-governador, Teles Junior, a perspectiva é que os índices de renda aumentem a cada ano de gestão, onde os investimentos feitos nos anteriores de trabalho fortalecem os projetos para os próximos anos.

“Ainda em 2024, vamos colher os frutos do licenciamento ambiental, com áreas que estão agregando mais de 12 hectares para áreas de produção só na área da agricultura comercial. Também teremos novas ações para os programas de estímulo de energia renovável e Selo Amapá, além de consolidar captações realizadas pelo Governo do Estado a partir do Novo PAC, com mais de 28 bilhões de reais previstos para ampliar investimentos no setor público e privado”, destaca Teles.

 

Texto: Winicius Tavares