Segurança

Alunas de curso de formação policial são incentivadas a continuar amamentando seus bebês

Cinco mulheres que fazem parte do Curso de Formação da Polícia Civil do Amapá, são mães de bebês. Elas passaram a contar com apoio garantido ao direito de amamentar as crianças durante as aulas.

Foto: Ascom GEA

Sendo mães de crianças pequenas, elas receberam o acolhimento da Academia Integrada de Formação e Aperfeiçoamento para manter a amamentação durante o curso. O apoio é fundamental para reforçar o vínculo entre mãe e filho.

A Deyse Assunção, mãe da Olga Maria, de 1 ano e 4 meses está buscando o sonho de ser policial civil. Em 2017 ela alcançou a tão esperada classificação no concurso público. No meio de tudo isso, em 2022, a pequena Olga Maria veio ao mundo e, logo em seguida, Deyse foi convocada para as etapas do certame.

Para a aluna, toda essa trajetória foi a realização de dois sonhos: o de ser reconhecida como servidora pública e de ser mãe.

Foto: Ascom GEA

“Estar na academia é muito gratificante, pois é a realização do sonho de muitos que estão aqui, inclusive o meu, que batalho desde 2012 para alcançar essa aprovação. Com o acolhimento que recebo em relação à minha filha, assim como as outras mães, só tenho a agradecer a Deus por esse apoio e poder continuar amamentando, reforçando esse vínculo com ela, já que passamos o dia todo durante a semana no treinamento”, conta a aluna.

Segundo o coordenador da Academia Integrada de Formação e Aperfeiçoamento, a ideia é garantir o direito das alunas durante o processo de ingresso na nova carreira.

“Tentamos fazer com que as alunas não perdessem a ligação familiar, além de garantir o direito da mãe a amamentar, nós incentivamos também que isso seja feito. Assim, a mãe pode alimentar a sua criança quantas vezes forem necessárias, atendendo a necessidade do bebê”, explicou o coordenador da Academia Integrada, Alan Coimbra.

As aulas de instrução da turma foram iniciadas no dia 13 de dezembro. e seguem até o próximo domingo, 14. Quando teve o nome anunciado, Stefanny Benathar, não conteve a alegria com a conquista profissional.

Vendo que outras mães também estavam na mesma situação, as alunas solicitaram à coordenação que pudessem alimentar seus filhos durante o curso. A resposta, claro, foi positiva.

“Os principais sentimentos são de acolhimento e respeito. Desde o primeiro momento, nós tivemos o direito como mães respeitado. É desafiador, mas receber esse carinho, essa generosidade, com certeza nos ajudou a superar a distância dos nossos bebês de uma forma mais tranquila para o nosso dia-a-dia. Eu recebo minha filha diariamente na academia, por muito tempo buscamos essa oportunidade e que acontece hoje. Nós pudemos realizar um sonho e manter a nossa rotina, mesmo que minimamente como mães”, descreveu.

Formações

A Academia Integrada de Formação e Aperfeiçoamento, vinculada à Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), é responsável pela formação dos profissionais da segurança pública e defesa social do Amapá.

Atualmente, são 450 profissionais sendo treinados na instituição, entre alunos do Corpo de Bombeiros (CBM) e da Polícia Civil. Os treinamentos acontecem de 6h da manhã até às 22h.

Esta é a 4ª e última turma do certame realizado em 2017. A entrada dos novos policiais vai fortalecer as investigações no interior do estado e na capital, uma vez que as delegacias de bairro e as especializadas receberão reforço de mais profissionais.