Cidades

Ações estratégicas vão garantir mais segurança no trânsito da comunidade do Curiaú

O Governo do Amapá começou a executar o plano de ações emergenciais da Rodovia AP 070, no perímetro da comunidade quilombola do Curiaú, em Macapá. A estratégia busca aumentar a segurança no trânsito da região e contemplará serviços como instalação de radares, passarelas de pedestre, alargamento da rodovia, construção de ciclovias, acostamento, fiscalização, iluminação e recuperação asfáltica.

Foto: Jorge Júnior

 

A primeira etapa de recuperação já iniciou, com intervenções que consistem na operação tapa-buraco e limpeza da vegetação, desde a última quarta-feira, 25. Na próxima semana, será feita a sinalização vertical e horizontal, além de uma análise da rede de internet para instalação da primeira câmera de segurança.

O plano construído foi idealizado e planejado para atender às necessidades da comunidade. Para isso, o Governo do Amapá enviou uma equipe técnica que, em uma escuta ativa, elaborou com os moradores ações necessárias para tornar o trânsito mais seguro.

Os serviços são executados pela Secretaria de Estado de Transportes (Setrap) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran/AP).

Mais fiscalização

Outra medida emergencial, será a intensificação da fiscalização no trânsito, principalmente aos finais de semana, feita pelo Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRE).

Secretário adjunto de planejamento da Secretaria de Governo (Segov), German Júnior, destacou que essa é uma pauta prioritária para o Estado.

“Pretendemos garantir mais segurança e qualidade na mobilidade urbana desses moradores. Vamos captar recursos junto à bancada federal para dar celeridade ao plano de ações”, reforçou o gestor.

Diálogo com a comunidade

Foto: Jorge Júnior

 

Na segunda-feira, 30, a Secretaria de Mobilização e Participação Popular fechará um cronograma com todos os prazos já estabelecidos pelo Governo e repassará para a comunidade.

“Somos o canal entre comunidade e Governo do estado. Estaremos diretamente com os moradores, realizando sempre essa escuta ativa, com o intuito de garantir que seus direitos sejam executados”, reforçou o coordenador de Mobilização da pasta, Paulo Brito.

A escuta ativa contou com a participação técnica da Setrap, Segov, Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Polícia Militar do Amapá, BPRE, Fundação Marabaixo e Detran.

 

Créditos: Jamylle Nogueira