Saúde

7 de julho, dia do chocolate: Nutricionista explica os benefícios para o corpo e mente

O consumo diário garante desde o retardo do envelhecimento das células até o reforço no sistema imunológico.

Seja no cinema, na viagem, na aula ou em qualquer outro momento, o chocolate, que tem o dia celebrado nesta sexta-feira (7), sempre tem um espaço na agenda diária e o consumo deste produto não tem hora. Mas para que esse hábito não se torne um problema, é necessário atenção.

A nutricionista, Anne Silva, explica que o produto possui uma série de propriedades antioxidantes, agindo no retardo do envelhecimento das células, na prevenção do aparecimento de doenças degenerativas, no reforço do sistema imunológico e, também, na diminuição da pressão alta e colesterol. “O chocolate é um produto feito a partir do cacau e que, se consumido da forma correta, apresenta uma série de benefícios para o corpo e para mente”, diz.

Nutricionista, Anne Silva

Mas para que as propriedades sejam extraídas ao máximo, a nutricionista que trabalha com disciplinas relacionadas ao controle de qualidade na Estácio, orienta atenção na hora do consumo. “Quando o chocolate é produzido, são adicionados outros produtos que podem fazer com que ele continue ou não sendo uma opção saudável. Na hora de escolher qual consumir, os mais indicados são aqueles que possuem um percentual de 50 ou 70% de cacau”, destaca.

Anne completa dizendo que quanto mais doce o chocolate é, mais produtos ele possui, o que resulta na diminuição dos benefícios. “Naturalmente o chocolate é amargo e os produtos adicionados o tornam mais palatáveis. Porém quanto menor o teor de cacau, maior é a porcentagem de gordura e açúcar e isso deve ser levado em consideração na hora da escolha”, ressalta.

Foto: Divulgação

Para quem não consegue viver sem comer chocolate, a nutricionista recomenda a ingestão de 30g por dia, o equivalente a um quadrado de uma barra de chocolate, sempre após o almoço. “É interessante comer após esta refeição porque o corpo ainda vai tá processando o alimento e a queima dele vai ser mais rápida”, comenta.

Anne diz que o chocolate pode ser consumido tanto na forma sólida, quanto na líquida, mas esta precisa de uma atenção especial. “Geralmente a gente observa a ingestão do achocolatado, que é um produto derivado com baixo teor de cacau e rico em açúcar, o que faz dele uma opção sem propriedades benéficas para o corpo. Na hora de selecionar o produto, opte por aquele que possui menos ingredientes e com um quantitativo baixo de carboidrato e gordura”, finaliza.

Consumo do chocolate no Brasil

Foto: Divulgação

O consumo de chocolate vem aumentando no Brasil nos últimos anos e uma pesquisa encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), revela que o segmento teve um crescimento de 10,3% em unidades comercializadas entre janeiro e setembro de 2022. Essa tendência foi responsável pelo faturamento de R$ 7,2 bilhões, o que resultou em um aumento de 16,3% no setor.

 

Com informações de Ewerton França