Cidades

4ª Promotoria de Justiça de Laranjal do Jari recomenda providências para sanar a constante falta de energia elétrica na comunidade do Iratapuru

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), realizou, na terça-feira (7), inspeção na comunidade do Iratapuru, localizada a cerca de 1 hora de barco de Laranjal do Jari. A vistoria teve o propósito de avaliar e definir as providências que serão tomadas quanto a denúncias, por parte dos moradores do local, em relação a falta de energia elétrica constante na localidade, onde residem cerca de 70 famílias.

A inspeção foi realizada pelo titular da 4ª Promotoria de Justiça de Laranjal do Jari, promotor de Justiça Eduardo Kelson, acompanhado do assistente social Andson Vilhena e do Sargento PM Santarém, da equipe do MP-AP, bem como o procurador do Município, Kaio Flexa e engenheiros da Companhia de Eletricidade do Amapá – CEA Equatorial.

Na ocasião, o membro do MP-AP, constatou que não há fornecimento regular de energia elétrica na localidade, mas apenas geradores a diesel que fornecem somente cerca de 10 horas de energia elétrica diária.

Foto: ASCOM MP

Na oportunidade, os representantes da Equatorial informaram que o problema será definitivamente resolvido este ano, com a devida integração da comunidade a rede de consumidores de forma regular e integral.

O promotor de Justiça destacou que o Ministério Público do Amapá é uma instituição que defende os direitos coletivos e individuais indisponíveis, incluindo o fornecimento de energia elétrica de qualidade à população. E ressaltou que a Promotoria do Laranjal do Jari continuará acompanhando e cobrando a resolução da demanda.


“A energia elétrica é um bem indispensável ao mínimo existencial com dignidade, de modo que a limitação a apenas cerca de 10 horas por dia acarreta inúmeros transtornos aos moradores, prejudicando também o fornecimento de água, já que esta precisa de bombas movidas a energia para ser captada, tratada e distribuída à comunidade”, pontuou Eduardo Kelson.

 

Texto: Luiz Felype Santos